Sistemas conversacionais

A tecnologia de chatbot, um sistema conversacional capaz de interagir em linguagem natural com as pessoas, possui diversas aplicações para a área do Direito. O seu intuito é permitir fácil acesso a perguntas feitas sobre determinado assunto, de maneira rápida, direta e eficaz, fazendo com que dúvidas sejam sanadas em tempo real. A interação com esta tecnologia é intuitiva e acessível às pessoas, bastando a utilização de um simples aplicativo de comunicação (como o Telegram), ou o próprio messenger do Facebook.

Há duas iniciativas no Legalite que estão estudando a aplicação desta tecnologia. A primeira diz respeito ao uso de chatbot no contexto do seguro de responsabilidade civil de ônibus (RCO). Seu objetivo é coletar dados de acidentes e incidentes de ônibus, para que as seguradoras possam tomar medidas preventivas ao tomarem ciência da ocorrência de um sinistro, iniciando um processo de negociação para o pagamento de eventual indenização devida, evitando, assim, o ajuizamento de ações judiciais.

Outro projeto envolvendo esta tecnologia foi pensado para auxiliar mulheres vítimas de pornografia de revanche. Por meio do uso do chatbot, as mulheres podem obter orientações de como proceder nestes casos, ou até mesmo ter acesso a documentos jurídicos importantes para efetivar seu direito, sendo possível gerá-los a partir dos subsídios dados pelas pessoas que interagem com o chatbot (como notificações extrajudiciais ou petições iniciais).

Paralelo a isto, o Legalite também desenvolveu desenvolveu uma cartilha para auxiliar as pessoas a desenvolverem seus próprios chatbots, e tem incentivado o uso desta tecnologia em outros projetos, como o Nest, que foi desenvolvido no âmbito do Programa de Inovação Tecnológica (PIT).